"– Pois adolf.hitler não dá – disse ela. – Adolfhitler tudo junto também não e adolf tracinho hitler também não. – Tracinho?!! Mas que tracinho?" Timur Vermes em
Ele Está de Volta
Quem Nunca Morreu de Amor
SÁ, EDUARDO
Quem Nunca Morreu de Amor

Quem Nunca Morreu de Amor

SÁ, EDUARDO

Preço: € 16
Há amores que nos matam aos poucos quando sentimos mais saudades que esperança.

Eduardo Sá avisa, logo no início: cuidado com o que se procura num livro de amor. Porque arriscamo-nos a encontrar, no espelho das páginas, a nossa própria história, as relações que tivemos, os homens ou as mulheres que amámos (e que ainda hoje nos visitam, quando à noite se aninham nos lençóis da memória). Nas histórias dos outros, que Eduardo testemunha e observa, revemo-nos sempre. Os nossos amuos, as dúvidas, os medos, a esperança. Guiados por ele, trilhamos novamente o caminho tantas vezes percorrido; mas descobrimos que afinal havia ali um cruzamento que nos tinha passado despercebido (onde poderíamos ter mudado de direção), ou uma ponte que decidimos ignorar (quando era tão fácil atravessá-la).
Descobrimos também, por entre textos onde o amor é sempre posto a nu, uma outra história que emerge de mansinho, em quadros pontuais. Conhecemos João Anacleto, homem resignado à vida, e a bela e livre Esmeralda, que o destino lhe devolve passados 30 anos. Vemos como uma corrente de bicicleta, ao partir-se, os volta a unir. Ou talvez não.
Porque o João e a Esmeralda somos também nós, às vezes tão dados a equívocos, tão presos a bravatas e orgulhos que nos esquecemos de ver o essencial. E o essencial, ao contrário do que pensamos, não é invisível. Vê-se no olhar de quem nos vê o coração.
partilhar  
Anexos
Trailer
Notícias
Eventos
Hoje Não Vou à Escola! - eBook
SÁ, EDUARDO
Hoje Não Vou à Escola!
SÁ, EDUARDO
Más Maneiras de Sermos Bons Pais
SÁ, EDUARDO
Querida Mãe
SÁ, EDUARDO